Oficina Até o Centro – 1º dia

No primeiro dia de oficina nos reunimos numa sala da Fafich e apresentamos para os oficineiros a proposta e algumas experiências relacionadas com a avenida para ventilar as idéias. Infelizmente, por falta de tempo, não conseguimos fazer o percurso da avenida de ônibus até o centro, como tinha sido planejado, mas tá valendo. Contamos com a presença do Joel, taxista dono de um acervo de fotos muito interessante da Antônio Carlos, da Juliana Gouthier, professora de Escola de Belas Artes, responsável por sepultar com cruzinhas de pau as árvores cortadas na Antônio Carlos durante as obras de duplicação (intervenção que você pode conferir em fotos aqui ou no vídeo abaixo), e ainda da professora da Faculdade de Educação Mônica Meyer, que colocou algumas questões interessantes sobre o histórico da avenida, sua função social e os desdobramentos futuros de suas modificações.

Escutamos muitas histórias  da avenida e da cidade levadas pelo tempo, principalmente nas falas do Joel, que soube situar bem os contextos históricos dos momentos importantes para a Antônio Carlos e lembrou de fatos bem curiosos (como por exemplo o que segundo ele foi a primeira desapropriação da Antônio Carlos – um posto de gasolina na Lagoinha -, para a construção, no seu lugar, de uma pracinha, do mesmo tamanho). Na sequência tive a oportunidade de mostrar para o pessoal algumas das intervenções feitas ao longo desse processo de pesquisa que o zine AC iniciou, como a ocupação coletiva de uma casa em demolição e o painel “Pedra e tanque são mais que notícias”. A idéia era estimular um olhar menos passivo sobre o nosso tema – a avenida – e priorizar o processo, enquanto vivência e troca direta com a rua, em oposição ao mero resultado final.

Em conclusão, se não conseguimos sair a campo hoje, como era previsto, pelo menos tivemos a oportunidade de trocar bastante informações e levantar questões e aspectos da Antônio Carlos interessantes para os oficineiros iniciarem seus trabalhos. Agora é mão na massa! Amanhã nem chegamos a nos reunir em ambiente fechado, a cara é a rua mesmo! Mando mais notícias em breve!

Anúncios

2 Respostas para “Oficina Até o Centro – 1º dia

  1. se essa rua, se essa rua fosse minha…

    eu construia uma ciclovia!!

  2. “Se essa rua fosse minha, eu construía um clube.”

    Palavras de um menino voltando da escola e atravessando a Antônio Carlos, em plena hora do rush…

    :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s